Arquivos do Blog

Raios Gama Podem Acabar com a vida na Terra

O choque entre duas estrelas, poderia produzir radiação gama em intensidade suficiente para nos levar à extinção. É o que explica uma teoria de astrônomos americanos.

O estudo foi formulado por cientistas da Universidade Washburn (em Topeka, Kansas, EUA). A ideia, seria a seguinte: em algum ponto do outro lado de nossa galáxia, duas estrelas colidem. E não precisa ser uma colisão completa e destruidora, basta um pequeno atrito entre elas. Segundo estimativas, ocorre um destes eventos a cada 100 milhões de anos, em média.

Este leve choque, enfim, já seria suficiente para iniciar uma explosão radioativa de imenso alcance no espaço. No caso da explosão ocorrer dentro da Via Láctea, praticamente tudo o que está nela sentiria o impacto. A extinção da vida na Terra, nesse caso, dependeria do tipo de onda gama liberado na colisão, e a intensidade com que seríamos atingidos.

A radiação gama mais “destrutiva”, nesse aspecto, seria a de ondas curtas, de maior frequência. Se a Terra fosse atingida por uma carga dessas ondas (que dura menos de um segundo), é provável que a camada de ozônio, que nos protege com eficiência das radiações solares, seria eliminada imediatamente.

Desprotegidos, todos os seres vivos da Terra estariam expostos às mudanças químicas acima de nós. Os cientistas explicam que haveria grande quantidade de oxigênio e nitrogênio livres pela atmosfera. Com a intensa liberação de ozônio, poderia haver a formação de toneladas de óxido nitroso (N2O), que não nos protege de nada. Estaríamos diretamente expostos aos raios ultravioleta, que alteram inclusive o nosso DNA.

Se estiver correta a teoria de que um desses eventos ocorre a cada 100 milhões de anos, a Terra já passou por isso várias vezes na sua história de mais de 4,5 bilhões de anos. Por essa razão, os cientistas afirmam que é preciso analisar fósseis e outras evidências para estimar o que aconteceria se todos fossem atingidos por uma rajada contínua de raios UV.

A ideia geral é que não poderíamos sobreviver, porque a radiação retira condições básicas para que possa haver vida no planeta. Os astrônomos americanos afirmam que já apresentaram sua teoria a paleontólogos, mas ainda têm encontrado muito ceticismo.

Fonte: HypeScience

Israelenses estão divididos sobre possível ataque ao Irã

A opinião pública israelense está dividida sobre a conveniência de um possível ataque contra o programa nuclear iraniano, com 41% das pessoas a favor, 39% contra e 20% indecisas, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira.

A enquete, publicada pelo diário Haaretz, revela uma notável confiança (52%) na capacidade do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e do ministro da Defesa, Ehud Barak, para lidar com o “tema iraniano”. Na outra ponta, 37% desconfiam da habilidade de ambos, que são partidários da operação, para tratar da situação.

A pesquisa, que ouviu tanto a população judaica como a árabe, é divulgada em meio a informações sobre um possível ataque contra o Irã por parte de Israel ou dos Estados Unidos.

Segundo o Haaretz, Netanyahu e Barak tentam alcançar uma maioria a favor de um bombardeio relâmpago no seio do conselho de ministros, onde os oponentes têm “ligeira maioria”. Recentemente, se somou ao grupo que apoia uma ação militar o ministro das Relações Exteriores israelense, Avigdor Lieberman, que até agora se opunha devido à possível repercussão do ataque.

O assunto iraniano saltou às manchetes depois que na última sexta-feira um destacado colunista do diárioYedioth Ahronoth, Nahum Barnea, alertou da pressão no seio do governo para um ataque.

Na segunda-feira, a sessão inaugural de inverno do Parlamento foi dominada por esta questão, que Netanyahu vê como uma ameaça existencial para Israel pelas ameaças do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.

Ministros e diplomatas disseram ao diário Haaretz que o próximo relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), a ser publicado em 8 de novembro, terá um efeito determinante nas decisões de Israel.

EFE – Agência EFE – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.

Fonte: Terra

Homem agride mulher após ela não curtir seu status no Facebook

Texas (EUA) – O mundo das redes sociais não para de nos surpreender, nesta segunda-feira, um americano do Texas foi acusado agredir sua ex-mulher porque ela não “curtiu” sua atualização de status no Facebook.

Benito Apolinar, de 36 anos, teria ficado indignado pois entre os muitos nomes que curtiram um post sobre o aniversário de morte de sua mãe não estava o de sua mulher, Dolores Apolinar. A briga teria começado após ele reclamar do fato. Perante a polícia Benito se declarou inocente.

Em outro caso recente, um homem foi preso nos EUA acusado de ameaçar matar a mulher apontando uma arma para ela. De acordo com o Wall Street Jornal, a briga começou pois ele teria se recusado a trocar o status de “solteiro” para “em um relacionamento”.

Fonte:  http://odia.ig.com.br

Até que ponto a humanidade chegou pessoas ameaçando mata outras por bobeira.

#SociedadeAlienada

EUA divulgam alerta para turistas americanos depois da morte de clérigo

Fonte: BBC

“O Departamento de Estado americano divulgou um alerta para todos os cidadãos dos Estados Unidos em viagem, afirmando que há um risco maior de violência no mundo todo depois da morte do clérigo islâmico radical Anwar al-Awlaki.

Awlaki era o líder da Al-Qaeda na Península Arábica e sua morte foi anunciada na sexta-feira pelo governo do Iêmen.

Segundo o Departamento de Estado, a morte do clérigo deve levar a uma retaliação contra alvos americanos.

‘A morte de Awlaki, no curto prazo, pode dar o motivo para ataques antiamericanos no mundo todo, de indivíduos ou grupos que querem retaliação contra cidadãos ou alvos americanos’, afirmou o Departamento de Estado em sua declaração de alerta.

A declaração ainda lembrou que Awlaki e outros nomes da Al-Qaeda na Península Arábica já tinham pedido a realização de ataques contra cidadãos americanos.

Um alerta de viagem semelhante ao divulgado neste sábado foi dado logo depois da morte do líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, em um ataque realizado pelas Forças Especiais americanas no Paquistão, em maio.

Ordem do presidente

Awlaki nasceu em solo americano, mas tinha ascendência iemenita e vivia foragido no Iêmen desde dezembro de 2007.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, teria dado pessoalmente a ordem para matá-lo em 2010.

O presidente americano afirmou que a morte de Awlaki foi um ‘grande golpe contra um dos braços mais ativos da Al-Qaeda.

Segundo Obama, Awlaki dirigiu a tentativa frustrada de explodir um avião que seguia para Detroit no Natal de 2009 e estava envolvido em uma tentativa também frustrada de explodir aviões de carga americanos em 2010.

A notícia de sua morte foi divulgada no momento em que o EUA se preocupam com a capacidade do Iêmen de combater a Al-Qaeda por causa da crise política que o país atravessa.

O presidente Ali Abdulah Saleh, há 33 anos no poder, enfrenta uma insurreição armada de parte do Exército, além de protestos generalizados contra seu governo, como parte dos levantes batizados de ‘primavera árabe’.

O governo do Iêmen acusou os Estaos Unidos de desrespeito, pois os americanos voltaram a pedir que o presidente iemenita renuncie ao cargo.

A Casa Branca afirmou que a morte de Awlaki não muda sua opinião de que Saleh deve deixar o poder.

‘Os americanos não respeitam nem aqueles que cooperam com eles’, disse o vice-ministro da Informação iemenita, Abdu al-Janadi, à agência de notícias Reuters.”

Será que vamos ter mais um ataque de falsa bandeira? Uma coisa é certa, algo vai acontecer nos próximos dias, fiquem alertas.