Arquivo da categoria: 11 de setembro

EUA divulgam alerta para turistas americanos depois da morte de clérigo

Fonte: BBC

“O Departamento de Estado americano divulgou um alerta para todos os cidadãos dos Estados Unidos em viagem, afirmando que há um risco maior de violência no mundo todo depois da morte do clérigo islâmico radical Anwar al-Awlaki.

Awlaki era o líder da Al-Qaeda na Península Arábica e sua morte foi anunciada na sexta-feira pelo governo do Iêmen.

Segundo o Departamento de Estado, a morte do clérigo deve levar a uma retaliação contra alvos americanos.

‘A morte de Awlaki, no curto prazo, pode dar o motivo para ataques antiamericanos no mundo todo, de indivíduos ou grupos que querem retaliação contra cidadãos ou alvos americanos’, afirmou o Departamento de Estado em sua declaração de alerta.

A declaração ainda lembrou que Awlaki e outros nomes da Al-Qaeda na Península Arábica já tinham pedido a realização de ataques contra cidadãos americanos.

Um alerta de viagem semelhante ao divulgado neste sábado foi dado logo depois da morte do líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, em um ataque realizado pelas Forças Especiais americanas no Paquistão, em maio.

Ordem do presidente

Awlaki nasceu em solo americano, mas tinha ascendência iemenita e vivia foragido no Iêmen desde dezembro de 2007.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, teria dado pessoalmente a ordem para matá-lo em 2010.

O presidente americano afirmou que a morte de Awlaki foi um ‘grande golpe contra um dos braços mais ativos da Al-Qaeda.

Segundo Obama, Awlaki dirigiu a tentativa frustrada de explodir um avião que seguia para Detroit no Natal de 2009 e estava envolvido em uma tentativa também frustrada de explodir aviões de carga americanos em 2010.

A notícia de sua morte foi divulgada no momento em que o EUA se preocupam com a capacidade do Iêmen de combater a Al-Qaeda por causa da crise política que o país atravessa.

O presidente Ali Abdulah Saleh, há 33 anos no poder, enfrenta uma insurreição armada de parte do Exército, além de protestos generalizados contra seu governo, como parte dos levantes batizados de ‘primavera árabe’.

O governo do Iêmen acusou os Estaos Unidos de desrespeito, pois os americanos voltaram a pedir que o presidente iemenita renuncie ao cargo.

A Casa Branca afirmou que a morte de Awlaki não muda sua opinião de que Saleh deve deixar o poder.

‘Os americanos não respeitam nem aqueles que cooperam com eles’, disse o vice-ministro da Informação iemenita, Abdu al-Janadi, à agência de notícias Reuters.”

Será que vamos ter mais um ataque de falsa bandeira? Uma coisa é certa, algo vai acontecer nos próximos dias, fiquem alertas.

Anúncios

Jogo de cartas de 1995 Previam o ataque do 11 de setembro

INWO e um jogo rpg, criado por Steve Jackson e lançado em 1995.

O Jogo inclue nove cartas que descrevem fatos que aconteceriam na história, eventos envolvendo bio terrorismo, desastres, anarquia, etc.

           

Podemos ver na carta da esquerda, que uma torre está sendo atingida. Outro fato interessante nessa carta é que, olhe no canto inferior esquerdo.

Bom, agora olhemos a carta da direita, o Pentágono, que está sendo atacado, mas apesar das chamas, o Pentágono está praticamente intacto, como ocorre no 11 de setembro.

Mais Informações em:
http://www.sjgames.com/inwo/

Fonte: http://www.realidadeoculta.com

G1 fala sobre a farsa do 11 de setembro

Investigações paralelas buscam falhas na versão oficial do 11/9

Grupo 911Truth se dedica a estudar os atentados terroristas.
Eles questionam relato do governo, mas evitam teorias da conspiração.

Poucos meses após os atentados de 11 de setembro de 2001, durante um discurso televisionado, o então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, relembrou os fatos do dia dos ataques: “Estava sentado do lado de fora da sala de aula e vi um avião bater na torre, na TV. Eu costumava pilotar, e pensei ‘este é um péssimo piloto’. Pensei que havia sido um horrível acidente”.

“A história oficial não faz o menor sentido”, disse, em entrevista ao G1 Mike Berger, coordenador da organização 911Truth, um dos principais grupos que buscam entender o que de fato ocorreu em 11 de Setembro, discordando do que o governo diz. “Ninguém viu vídeo do primeiro avião batendo até ele ser divulgado no dia seguinte. Ou o presidente mentiu, ou ele tinha alguma imagem exclusiva do ataque, que ninguém nunca ficou sabendo”, completou.

Dúvidas

Segundo Berger, mesmo após dez anos, há muito que nunca foi satisfatoriamente explicado pelo governo, e também muita informação que foi mantida sigilosa por mais importante que fosse para o país. Tudo isso, ele diz, levanta suspeitas de que há “muitos interesses em esconder a verdade” e cria suspeitas sobre o próprio governo.

Os ataques serviram a muitas causas diferentes. Uma delas foi dar força e dinheiro ao governo americano.”

Mike Berger, da organização 911Truth

“O governo Bush tentou evitar uma investigação. O Departamento de Defesa mentiu. Todas as agências de segurança falharam. No fim, tudo foi usado para justificar a decisão de aumentar o orçamento da defesa e jogar o país em guerras. Acreditar na versão oficial dos fatos é impossível”, disse.

O site da organização lista dezenas de questões que seus membros ainda consideram sem resposta. “Muitas pistas e provas foram destruídos, caixas pretas dos voos do WTC nunca apareceram, agentes da Inteligência do Paquistão supostamente mandaram dinheiro para terroristas, o governo ignorou uma série de alertas de que os ataques ocorreriam e a resposta depois deles foi desorganizada. São muitas dúvidas”, disse. “Os ataques serviram a muitas causas diferentes. Uma delas foi dar força e dinheiro ao governo americano.”
saiba mais

Ativismo

O grupo liderado por Berger é formado por voluntários, pessoas de todo o país que duvidam da história construída pela investigação sobre o 11 de Setembro. “Nossa missão é educar as pessoas”, disse. São essas mesmas pessoas que analisam dados disponíveis no próprio relatório oficial, na imprensa e na avaliação de supostos especialistas para criar questionamentos sobre os fatos divulgados oficialmente.

É frustrante. Ligam meu nome a teorias da conspiração mesmo sem defender nenhuma”
Mike Berger

O coordenador contou que ele mesmo era “ingênuo” e acreditava na versão oficial dos fatos. “Não acreditava que o governo estivesse mentindo”, disse. Segundo ele, entretanto, ao pesquisar, começou a encontrar questões sem explicação, que o levaram a se tornar parte das investigações paralelas.

Além do grupo 911truth, pesquisadores independentes também levantam problemas na versão oficial dos fatos e no sigilo de documentos importantes. Segundo Anthony Summers e Robbyn Swan, autores do recém-lançado “The eleventh day” (O décimo-primeiro dia), sobre o 11 de Setembro, “sempre haverá dados escondidos”, o que não quer dizer necessariamente uma suspeita sobre a participação de grupos do governo em ataques.

Suspeita sem teoria da conspiração
Apesar de não acreditar na versão oficial, Berger e o grupo 911truth rejeitam a ideia de que acreditam em uma teoria da conspiração. “Não teorizamos sobre o que aconteceu. Juntamos fatos, contradições, para mostrar que a versão oficial está errada, mas não criamos nossa própria versão”, disse.

Segundo ele, as teorias da conspiração só dificultam o trabalho de qualquer pessoa que questione a versão oficial. “É frustrante. Ligam meu nome a teorias da conspiração mesmo sem defender nenhuma”, disse. “Não sei explicar o que está em aberto”, completou.

Por ser uma organização aberta, entretanto, o 911Truth acaba abrigando muitas pessoas que defendem teorias conspiratórias e acham até mesmo que o governo americano pode ter sido responsável pelos atentados. Em fóruns do site do grupo é fácil ler comentários deste tipo, apesar de não haver uma postura oficial dos envolvidos nas investigações.

“Numa mesa de bar, de forma informal, diria que houve um plano terrorista da al-Qaeda, sim, mas algumas pessoas ligadas ao governo permitiram que o plano ocorresse para que isso pudesse ajudá-los em seus objetivos”, disse.

Berger acha que é possível que a verdade completa sobre o 11 de setembro nunca seja revelada. “A situação continua péssima para quem quer investigar, mesmo após a eleição de Obama”, disse.

Fonte: http://g1.globo.com/

Hoje (11/09) o Domingo espetacular,programa exibido pela rede record,vai fala sobre o Haarp.

Quais Seria os Motivos da Mídia revela isto logo agora?